Cálculo da velocidade em uma reação

Você está aqui

A queima do metal sódio é um exemplo de uma reação química que se processa de forma muito rápida
A queima do metal sódio é um exemplo de uma reação química que se processa de forma muito rápida

Curtidas

0

Compartilhe:
Por Diogo Lopes Dias

A Cinética Química tem como principal objetivo o estudo da velocidade em que uma determinada reação química processa-se. A partir desse estudo, temos condição de especificar se uma reação ocorreu de forma rápida ou lenta.

Ao falarmos de velocidade (v), devemos relembrar que a Física trabalha essa grandeza por meio da relação entre a variação do espaço (ΔS) e a variação do tempo (Δt):

v = ΔS
     Δt

Na Química, não avaliamos o espaço que uma reação percorre, já que ela não se desloca de um lugar para outro. Na verdade, damos ênfase na variação das quantidades de reagentes e produtos durante uma reação expressa em termos de molaridade (concentração em mol/L). A variação da concentração é dada pela simbologia Δ[ ].

Durante uma reação química, os reagentes são consumidos para que os produtos sejam formados. Por essa razão, podemos calcular a velocidade em que um reagente é consumido ou a velocidade em que um produto é formado, por exemplo. Em ambos os casos, sempre vamos realizar o cálculo a partir da relação entre a variação da concentração e a variação do tempo:

v = |Δ[ ]|
     Δt

Observação: O módulo |Δ[ ]| é necessário porque a velocidade não pode ser negativa. Além disso, existe a possibilidade de, ao calcular a variação da concentração (Δ[ ]), o resultado ser negativo (principalmente nos reagentes, pois a concentração final é menor que a inicial).

Para determinar a velocidade média em que uma reação (vr) é processada, devemos obrigatoriamente conhecer a velocidade (vx) de qualquer um dos participantes da reação e dividi-la pelo seu coeficiente estequiométrico da reação:

vr = vx
      n

Para exemplificar os cálculos da velocidade em uma reação química, vamos utilizar como base a equação que representa a reação de formação da amônia.

1 N2 + 3 H2 → 2 NH3

Nessa reação, o N2 e o H2 são reagentes, enquanto o NH3 é o produto. À medida que o tempo passa, a quantidade de reagentes diminui e a quantidade de produtos aumenta, de acordo com a tabela a seguir:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Utilizando os dados acima, é possível determinar a velocidade de cada um deles em qualquer intervalo de tempo. Para exemplificar, determinaremos a velocidade de cada um no intervalo de 0 a 2 minutos de reação:

Para o N2

    → A concentração varia de:

    Δ[ ] = |0,1 – 0,2|

    Δ[ ] = 0,1 mol/L

    → O tempo varia de:

    Δt = 2 – 0

    Δt = 2 min

    → A velocidade de consumo de N2 será, então:

    v = |Δ[ ]|
           Δt

    v = 0,1
           2

    v = 0,05 mol.L-1.min-1

    Para o H2

    → A concentração varia de:

    Δ[ ] = |0,3 – 0,6|

    Δ[ ] = 0,3 mol/L

    → O tempo varia de:

    Δt = 2 – 0

    Δt = 2 min

    → A velocidade de consumo de N2 será, então:

    v = |Δ[ ]|
           Δt

    v = 0,3
           2

    v = 0,15 mol.L-1.min-1

    Para o NH3

    → A concentração varia de:

    Δ[ ] = |0,2 – 0|

    Δ[ ] = 0,2 mol/L

    → O tempo varia de:

    Δt = 2 – 0

    Δt = 2 min

    → A velocidade de formação de NH3 será, então:

    v = |Δ[ ]|
           Δt

    v = 0,2
           2

    v = 0,1 mol.L-1.min-1

    A velocidade média da reação de formação do NH3 pode ser determinada por meio de qualquer uma das velocidades conhecidas de qualquer um dos participantes da reação. Nós dividiremos a velocidade deles pelo coeficiente da reação. A tabela a seguir traz o cálculo feito com as velocidades e os coeficientes dos três participantes:

    Analisando a tabela, podemos concluir que o resultado do cálculo da velocidade média de uma reação será o mesmo independentemente do participante utilizado no cálculo.


    Por Me. Diogo Lopes Dias

    Curtidas

    0

    Compartilhe: