Amianto

Você está aqui

O amianto, conhecido também como asbesto, é uma fibra mineral de alta resistência que é muito aplicada no setor de construção civil. Existem dois tipos de amianto: o amianto branco (crisólito), que é menos ofensivo à saúde e ao meio ambiente em razão de sua menor biopersistência (permanência no organismo), e os amiantos do tipo anfibólios, que são fibras duras, retas e pontiagudas. Responsável por danos à saúde, o uso do anfibólio está proibido no Brasil desde 1995.

Doenças pulmonares, câncer e tumores na pleura e no peritônio estão associados à inalação recorrente do pó de amianto. Por esse motivo, a extração e o uso foram banidos em mais de 75 países.

Leia também: Ácido sulfúrico – ácido forte, extremamente corrosivo e oxidante

O que é amianto?

Trata-se de uma fibra natural formada por silicatos hidratados de ferro e magnésio — em alguns casos, com a presença de cálcio e sódio. A palavra amianto vem do latim e significa “incorruptível”. Ele é pouco reativo, não se degrada com a ação de produtos ácidos ou alcalinos, tem resistência a altas temperaturas, além de ser bom isolante elétrico, térmico e acústico.

O amianto também é chamado de asbesto, palavra que se origina no grego e significa “não comburente”. Uma doença pulmonar causada pelo pó do amianto recebe, inclusive, a denominação de asbestose.

Tipos de amianto

  • Serpentina 

O crisólito (Mg3Si2O5(OH)4), que é uma fibra do tipo serpentina, é conhecido como amianto branco. Formado por fibras curvas e maleáveis, é o amianto mais aplicado industrialmente, por ser menos tóxico, já que sua permanência no organismo é menor que a dos demais tipos de amianto.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Anfibólios

Nessa classe de amianto, estão presentes:

- amosita (Fe, Mg)7(Si8O22)(OH)2;

- crocidolita (Na2Fe5(Si8O22)(OH)2;

- tremolita (Ca2Mg5 (Si8O22)(OH)2).

Fibras retas, duras e pontiagudas, representam menos de 5% do amianto utilizado mundialmente. Foram banidos pelos danos causados à saúde das pessoas nas décadas de 1970 e 1980.

Imagem microscópica de uma fibra de amianto.
Imagem microscópica de uma fibra de amianto.

Propriedades do amianto

• Minerais em fibras hidratadas de silicato

• Resistente a altas temperaturas

• Pouco reativo (resistente a agentes químicos)

• Isolante elétrico

• Resistente à tensão

• Não comburente

• Alta dureza e flexibilidade

Leia também: Quais são as propriedades da matéria?

Obtenção do amianto

O amianto é utilizado como mistura para aumentar a resistência de louças e itens de cerâmica desde a Antiguidade. Porém, foram os romanos, aproximadamente 2.000 anos atrás, que começaram a extração de amianto em minas nos Alpes italianos e nos Montes Urais, na Rússia.

No Brasil há hipóteses de extração do amianto acontecendo desde 1920. Em 1930 minas em Bom Jesus, na Bahia, começaram a ser exploradas com o intuito de uso comercial do amianto. Em 1960 a exploração passou para as minas de Cana Brava, em Minaçu - Goiás, que até então é a maior mina produtora de amianto no Brasil.

O amianto, após sair das minas, passa por três etapas de preparo para uso comercial:

• concentração e secagem;

• tratamento e classificação das fibras;

• embalamento do produto.

Esse processo funciona como um “refinamento” do amianto, destinando para cada segmento industrial o tipo e tamanho da fibra ideal.

Mina de amianto.
Mina de amianto.

Usos do amianto

Na Antiguidade, quando não se sabia do potencial tóxico do amianto, ele era utilizado em:

• utensílios domésticos;

• toalhas;

• peças de cerâmica;

• vestimentas fúnebres.

Atualmente é aplicado principalmente na construção civil. São feitos de amianto:

• telhas;

• revestimentos para cobertura;

• gesso;

• estuques;

• blindagens para incêndio;

• fibrocimento.

Ele é utilizado também no setor automobilístico para produzir lonas e pastilhas de freios.

Perigos do amianto

O amianto é uma fibra mineral que, ao ser quebrada ou sofrer cisalhamento (atrito), solta pequenas fagulhas. A inalação dessas fagulhas gera inflamações, feridas pulmonares, enrijecimento do pulmão, dificultando a expansão e retração desse órgão e, consequentemente, causando problemas nas trocas gasosas, fadiga e cansaço respiratório. Esses são os sintomas da asbestose, nome dado à doença pulmonar causada pela exposição frequente ao amianto.

As complicações não tratadas podem evoluir para câncer e tumores na pleura e no peritônio. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 50% dos casos de câncer associados ao trabalho sejam causados pelo amianto.

O descarte de materiais fabricados com asbestos (amianto) pode oferecer sérios riscos à saúde.
O descarte de materiais fabricados com asbestos (amianto) pode oferecer sérios riscos à saúde.

Proibição do amianto

Em 2017, 75 países já haviam banido definitivamente o uso comercial do amianto. A OMS estimou que, dos 175 milhões de indivíduos expostos ao amianto diariamente em decorrência do trabalho, 107 mil morrem por ano por evolução de doenças relacionadas ao contato com esse produto.

No Brasil morrem de 100 a 150 pessoas por ano em função de tumores pulmonares. Estima-se que metade ou mais seja causada pelo uso do amianto. Desde 1995 o uso do anfibólio é proibido. Apenas a crisólita pode ser usada como matéria-prima industrial. No entanto, alguns estados brasileiros, como São Paulo, proibiram o uso e comercialização de qualquer tipo de amianto.

Esse embate de quem decide sobre a liberação ou não do amianto foi parar até mesmo no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Havia protestos contra a liberação do produto em razão das questões ambientais e de saúde, mas também havia movimentos que defendiam a liberação do amianto branco em função dos benefícios econômicos que a matéria-prima traz para a comunidade e o país.

Em novembro de 2017, o STF julgou inconstitucional o artigo 2º da Lei 9.055/1995, que permitia o uso do amianto branco, proibindo definitivamente o uso em todo o território brasileiro. No entanto, em julho de 2019, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, sancionou uma lei que permite a extração do amianto para exportação dentro dos padrões internacionais de transporte, justificando que tal decisão visa resguardar empresas e comunidade de um forte impacto na economia e nos postos de trabalho gerados pelo amianto.

Acesse também: Acrilamida –  substância que possui potencial neurotóxico e cancerígeno

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (UFSM) O amianto, conhecido também como asbesto, é um material constituído por fibras incombustíveis. É empregado como matéria-prima na fabricação de materiais isolantes usados na construção civil, como fibrocimento. O uso dessas fibras vem tendo queda desde a década de 1960, quando estudos confirmaram os efeitos cancerígenos desse material, principalmente sobre o aparelho respiratório. Entre seus componentes, além do SiO2, estão o óxido de magnésio (MgO) e o óxido de alumínio (Al2O3).

Em relação ao composto MgO, analise as afirmativas:

I. A ligação entre o magnésio e o oxigênio se dá por transferência de elétrons, sendo classificada como ligação iônica.

II. Os átomos não alcançaram a configuração do gás nobre após a ligação.

III. Após a ligação entre os átomos de magnésio e oxigênio, há formação de um cátion Mg2+ e um ânion O2–.

Está(ão) correta(s) apenas:

A) I
B) II
C) III
D) I e II
E) I e III

Resolução

Alternativa E.  A afirmativa II está incorreta porque os átomos de magnésio e oxigênio, ao se ligarem (ligação iônica), doam e recebem dois elétrons respectivamente, adquirindo estabilidade e configuração eletrônica de um gás nobre.

Questão 2 - Sobre a fibra mineral amianto, assinale a alternativa incorreta.

A) O amianto do tipo branco é conhecido como crisólito, tem menor biopersistência que os demais tipos de amianto e representa 95% de todo o amianto utilizado comercialmente.

B) O uso do amianto como matéria-prima para enriquecimento do cimento, fabricação de telhas, lonas de freios e outros itens foi banido devido à ocorrência de casos de câncer de esôfago associados à ingestão do pó de amianto.

C) A asbestose é uma doença pulmonar causada pela inalação do pó de amianto, o que gera enrijecimento e lesões nos tecidos pulmonares.

D) Em 1995 foi proibido o uso do anfibólio, que, por ter fibras mais rígidas, retas e pontiagudas, apresenta potencial danoso à saúde muito maior que o crisólito, que continuou sendo comercializado no Brasil até novembro de 2017.

E) A OMS estima que 50% dos casos de câncer associados ao trabalho sejam causados pelo amianto.

Resolução

Alternativa B, pois a doença associada ao amianto agride o sistema respiratório, em decorrência da inalação do pó de amianto, que são fagulhas da fibra que se espalham no ar quando acontece a quebra ou cisalhamento em peças com amianto.

Por Laysa Bernardes Marques de Araújo

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados